Pular para o conteúdo

Como cuidar do couro cabeludo?

Cuidar do couro cabeludo vai muito além de lavar bem a cabeça ou ir ao salão periodicamente.

Cuidar do couro cabeludo é muito importante, pois se trata de uma área extremamente sensível e vascularizada.

Normalmente, as pessoas se preocupam apenas com a estética dos cabelos e, por isso, submetem a região a tratamentos rigorosos e agressivos.

O que poucas pessoas sabem é que um couro cabeludo saudável leva, naturalmente, a fios soltos e sedosos, sem a necessidade de tratamentos intensivos e química pesada.

Além disso, em um couro cabeludo bem cuidado, a gordura produzida pelo organismo se distribui ao longo da fibra capilar, produzindo uma aparência brilhante e levando a cabelos macios e definidos.

De modo contrário, um couro cabeludo mal cuidado produz oleosidade em excesso, queda do cabelo, perda de brilho, ressecamento, além de coceira e feridas.

Outro ponto importante, é que a falta de cuidados transforma a região em um lugar perfeito para a morada e proliferação de parasitas que oferecem riscos não só a sua saúde, mas também a de outras pessoas ao seu redor.

Nesse artigo, apresentarei as principais doenças no couro cabeludo, bem como sugestões de cuidados.

Quais são as principais disfunções que surgem no couro cabeludo?

Essas doenças podem ou não está ligadas a parasitas.

Dessa forma, o mais importante é ficar atento(a) aos sintomas para que o problema seja tratado nos estágios iniciais evitando o agravamento da situação.

Portanto, separei 5 doenças comuns que afetam o couro cabeludo, podendo gerar incômodos como coceiras, feridas e até mesmo queda de cabelo. Confira:

1. Psoríase

Exemplo de psoríase
Exemplo de manifestação da psoríase

Essa é uma doença inflamatória que possui relação direta com a sua imunidade.

Seus principais sintomas são manchas vermelhas e ressecadas, podendo causar coceira, queimação ou dor.

Em casos agudos, pode levar até à queda de cabelo.

Essa doença também se manifesta no cotovelo, joelhos, entre outras partes do corpo.

Essa doença está diretamente relacionada com questões emocionais como stress, ansiedade ou a doenças autoimunes.

Os principais causadores dessa doença são:

  • Pancadas e outros traumatismos na pele;
  • Infecções por vírus ou bactérias;
  • Hábitos como tabagismo ou alcoolismo;
  • Uso de remédios, especialmente antimaláricos, lítio ou betabloqueadores.

Leia mais sobre a doença clicando aqui.

2. Foliculite

Sabe aquelas bolinhas vermelhas que aparecem na cabeça e causam uma coceira terrível? Pois é! Isso pode ser Foliculite.

Aparência da foliculite no couro cabeludo

Essa comorbidade geralmente é causada por pelos encravados e pode manifestar em diferentes lugares do corpo.

Quando acometida no couro cabeludo, tende a estar relacionada com bactérias e fungos, que causam bolhas com pus e muita coceira, podendo levar até a queda de cabelos em casos mais graves.

3. Dermatite seborreica

Essa pode uma das doenças mais comuns dessa lista.

A dermatite seborreica atinge cerca de 2 milhões de pessoas por ano e pode ser desencadeada por diferentes fatores como alergias ou até mesmo fadiga e estresse emocional.

Além disso, como possível causa da doença, temos a exposição da pele a baixas temperaturas, medicamentos, álcool, excesso de oleosidade e também pelo fungo Pityrosporum ovale.

Dermatite Seborréica

Os sintomas dessa doença são manifestados a partir da descamação da pele, podendo causar coceira, vermelhidão, leve ardor e o surgimento de caspas.

Vale lembrar, que a dermatite seborreica não é contagiosa e não significa falta de higiene do couro cabeludo.

4. Pitiríase

5 doenças do couro cabeludo que você precisa ficar de olho

Também conhecida como tínea capilar, a Pitiaríase é causada por uma micose de origem fúngica. Seus principais sintomas são a coceira, descamação e, em alguns casos, queda de cabelo.

O fungo causador habita a pele dos seres humanos e são ativados a partir de mudanças no pH da região, ao estresse, ao excesso de sudorese, entre outros.

5. Pediculose

Nome dado à infestação de piolhos, esse problema é mais comum em crianças em fase escolar, ocorrendo com maior frequência em regiões que contém pelos.

O surgimento de piolhos pode causar coceira intensa, levando até ao surgimento de feridas na região.

Piolho – Wikipédia, a enciclopédia livre

Ao contrário do que muitos pensam, o piolho não voa, nem pula, mas sim é transmitido por meio do contato direto.

É importante que seja realizado o tratamento imediato, visto que a reprodução do parasita ocorre rapidamente. Só para se ter ideia, uma única fêmea põe entre 7 a 10 lêndeas (ovos) por dia.

Segundo esse site, os principais sintomas do problema são:

  • Coceira intensa no local; 
  • Pequenas feridas na região de infestação; 
  • Vermelhidão local;
  • Surgimento de pequenos pontinhos brancos na região do couro cabeludo, que normalmente estão associados à presença de lêndeas;
  • Sinais de inflamação, como aumento da temperatura do local, devido à presença da saliva e dos excrementos do piolho.

Se você tem interesse em saber mais sobre toxinas biológicas você pode gostar de: Toxinas biológicas: o que são e como controlá-las?

Qual é o melhor profissional para cuidar do couro cabeludo?

Tricologia: o que é e quando procurar um especialista em cabelos?

Conheça a tricologia, área de estudo do couro cabeludo.

O significado da palavra vem do grego thricos, que significa “cabelo” e logia, que significa “estudo”.

No ano de 1902, um grupo de médicos, cientistas e cabeleireiros ingleses se juntaram para estudar as doenças relacionadas com o couro cabeludo. Essa união ocasionou a fundação da Faculdade das Enfermidades do Cabelo (College of Diaseases of Hair), objetivando a promoção de estudos científicos na área em questão.

A área é responsável por realizar analises profundas, a fim de encontrar e compreender as condições que levam a estrutura e o aspecto dos fios de cabelo e também do couro cabeludo.

Sendo assim, o tricologista busca não apenas tratar um distúrbios capilares superficialmente, mas também entender as raízes do problema, a fim de eliminá-lo por completo.

A tricologia uma especialidade da dermatologia o que, por sua vez, leva a uma maioria de profissionais médicos atuando na área.

Porém, com o avanço da área ao longo dos anos, outros profissionais como biomédicos, farmacêuticos, esteticistas, também passaram a se especializar.

Assim, as principais condições estudadas pela tricologia são:

  • queda dos fios
  • quebra dos fios
  • calvície
  • caspa
  • infecções no couro cabeludo
  • excesso de pelos
  • entre outros

Para saber tudo sobre essa área, recomendo o livro Tricologia e Cosmética Capilar.

Você pode se aprofundar também nesse link.

Quais são os principais cuidados que devemos ter com o couro cabeludo?

Cuidar do cabelo é fundamental não só pela questão estética, mas também da qualidade de vida.

Separei algumas dicas fundamentais para que você comece hoje mesmo a cuidar dos seus cabelos com maior qualidade e eficácia. Confira 3 dicas fundamentais para cuidar dos seus cabelos:

1. Alimentação

Alimentos ricos em proteínas são fundamentais para o fortalecimento capilar, afinal, as proteínas são compostas por aminoácidos que auxiliam a proteger, fortalecer e prevenir a queda de cabelo.

Melhores alimentos para fortalecer o cabelo - Tua Saúde

Além disso, uma boa suplementação com vitaminas e minerais também contribuem para uma boa saúde capilar.

Os principais alimentos para o cabelo são:

Verduras e legumes

Nessa categoria temos o espinafre rico em ferro, mineral fundamental para a formação dos glóbulos vermelhos e para a nutrição dos folículos capilares.

Segundo a nutricionista funcional Patrícia Davidson Haiat, do Rio de Janeiro:

“O espinafre é rico em clorofila, que, juntamente com o ferro, ajuda a equilibrar a oleosidade do couro cabeludo, fortalecer a raiz e normalizar o ciclo de crescimento dos fios”

Leia mais em: https://boaforma.abril.com.br/beleza/10-alimentos-amigos-do-cabelo/

Outras verduras e legumes muito importantes são aquelas ricas em vitamina A como, cenouras, pimentão, beterraba, entre outros. Essa vitamina é antioxidante e cuida dos folículos pilosos, combatendo a ação dos radicais livres, toxinas químicas que podem enfraquecer os seus cabelos.

Carnes e Sementes

Iniciando a lista de carnes benéficas para o cabelo, o salmão é uma das melhores pois é rico em proteínas de altíssima qualidade. Além de conter uma quantidade significativa de ácido graxo, possui também ômega 3 e selênio. Essas três substâncias são infalíveis para combater inflamações, além de proteger o couro cabeludo contra radiações e melhorar a circulação e chegada de nutrientes ao bulbo capilar.

Além do salmão, carnes vermelhas e frango são ótimas alternativas.

Na lista de grãos, temos a soja, excelente fonte de proteína e a aveia, mineral capaz de estruturar a queratina. Além disso, a aveia é rica em vitaminas do complexo b e zinco.

Outros alimentos que entram nessa lista são:

  • sardinha
  • arenque
  • atum
  • sementes de chia e linhaça
  • nozes
  • óleo de linhaça ou de canola

Fonte: TuaSaude.com

Frutas cítricas e secas

Conheça os benefícios e o poder de cinco frutas cítricas - Verso - Diário  do Nordeste

Frutas como laranja, tangerina, abacaxi, morango, kiwi e limão auxiliam na produção de colágeno e são uma excelente fonte de vitamina C, que ajuda a absorver o ferro da alimentação, crucial para o crescimento do cabelo.

No caso das laranjas e tangerinas, os benefícios estão na parte branca que envolve os gomos, a chamada pectina. Essas fibras auxiliam na eliminação de toxinas que contribuem para o aumento da oleosidade que, como vimos anteriormente, é a causa de várias disfunções capilares.

No grupo das frutas secas, temos “o amendoim, a avelã, a amêndoa, a aveia, as nozes ou o caju são ricos em biotina, uma vitamina do complexo B que é importante para o desenvolvimento do folículo pilose, prevenindo a progressão da calvície.” Fonte: TuaSaude.com

Dica extra!

Você sabe quais são as substancias mais importantes para a saúde capilar? Eu vou te apresentar 3 delas:

  • MSM: metilsulfonilmetano é um suplemento alimentar à base de enxofre, crucial para manter a síntese do colágeno, prevenindo rugas e cicatrizes na pele, além de inúmeros benefícios a fibra capilar.
  • Biotina: mais conhecida como vitamina B7, a Biotina é uma vitamina hidrossolúvel essencial para função normal das células, fundamental na manutenção da integridade da pele, unha e cabelos.
  • Queratina Hidrolisada: essa substância é um dos mais importantes ingredientes para a saúde capilar. Os seus efeitos incluem o fortalecimento e a proteção da fibra, além de outros benefícios.

Busque alimentos e suplementos que contenham essas substâncias e melhore ainda mais a saúde dos seus cabelos!

2. Higienização

Como lavar os cabelos corretamente?

Antes de mais nada, é fundamental lavar o cabelo sempre com shampoo, afinal o produto é responsável por eliminar o excesso de sujeira do couro cabeludo, bem como o excesso de oleosidade.

Como lavar o cabelo corretamente: veja passo a passo

Molhe bem todo o cabelo com água e massageie o couro cabeludo suavemente com shampoo, utilizando a ponta dos dedos. Você pode realizar o processo 2 vezes e, ao finalizar, enxague até que todo o produto seja removido.

Após o enxague e remoção de todo o shampoo, aplica o condicionador apenas nas pontas, massageando os fios para realizar o fechamento das cutículas.

Deixe que o produto aja por alguns minutos e, em seguida, remova-o por completo.

Não se esqueça de utilizar produtos saudáveis, como cosméticos naturais, com baixo teor de agentes químicos.

Qual a frequência ideal para lavar os cabelos?

De acordo com essa matéria da Revista Istoé a frequência ideal para cada tipo de cabelo é:

Cabelos volumosos

“O cabelo grosso deve ser lavado a cada três dias. Você vai querer lavá-lo com algo que discipline bem, para que não precise usar uma quantidade excessiva de xampu e um condicionador que faça os dedos deslizarem, para que assim seja mais fácil de trabalhar.” diz Paul Cucinello, estilista de celebridades e fundador do Cucinello Studio NYC (EUA).

Cabelos finos

“O cabelo fino deve ser lavado a cada dois dias usando um xampu e condicionador volumizador”, diz Cucinello. Eles podem facilmente ser sobrecarregados pelo acúmulo de óleo e produtos. Por isso, é necessário lavar um pouco mais. “O objetivo é mantê-lo limpo para que ele possa ter volume. Contudo, também é necessário nutrir o couro com um condicionador volumizador”, indica.

Cabelos grossos

“O cabelo grosso deve ser lavado duas vezes por semana. Use um xampu super hidratante e sem sulfato, seguido por uma máscara de condicionamento profundo para mantê-lo suave e disciplinado”, sugere Cucinello.

Cabelos ralos

“Ele deve ser lavado diariamente com um xampu estimulante para o couro cabeludo, que expanda o diâmetro de cada fio tornando-o mais espesso e forte. Já o condicionador deve nutrir o folículo piloso e estimular o crescimento do cabelo”, aponta Cucinello.

Tipos de cabelo: como identificar o seu?
Cabelos pintados

“Você pode lavá-lo quantas vezes quiser. Contudo, deve passar xampu não mais do que três vezes por semana”, explica o profissional. Ele recomenda condicionar seu cabelo primeiro, antes de lavar com um xampu para cabelos tingidos – eles costumam ser mais suaves e ajudam a preservar a cor por mais tempo.

Cabelos frágeis e danificados

“Quando seu cabelo está danificado, você precisa tomar um cuidado extra. O excesso de lavagem pode prejudicar ainda mais ou secar os fios”, aponta Cucinello. Em vez disso, ele sugere lavar duas vezes por semana, usando um xampu de fortalecimento, seguido por uma máscara de reparação, em vez de condicionador regular.

Cabelos oleosos

“Acho que quando os clientes reclamam que o cabelo está ficando oleoso, é porque estão lavando com muita frequência e não usam nenhum condicionador, o que faz com que o couro cabeludo fique desidratado”, conta Cucinello. Isso faz com que o couro cabeludo intensifique a produção de óleo para compensar demais.

Para recuperar o seu couro cabeludo, tire uma semana para redefinir sua rotina lavando seu cabelo apenas quatro vezes. Durante dois deles, lave e condicione apenas o comprimento do cabelo. Para os outros dois, você pode usar um xampu no couro também. “Mas certifique-se de realmente massagear bem o couro cabeludo com o condicionador para quebrar o acúmulo de óleo em excesso”, diz ele. “Uma vez que o ciclo é quebrado, tente usar um xampu purificador do couro cabeludo e um condicionador hidratante três vezes por semana”, completa.

Cabelos com caspas

“A caspa surge quando um crescimento excessivo de uma espécie de levedura leva à inflamação na pele e uma superprodução de sebo e óleos “, explica Julie Russak, médica fundadora da Russak Dermatology Clinic em NY (EUA). Cucinello sugere que este tipo de cabelo seja lavado todos os dias.

Ao procurar um produto anticaspa, Russak indica apostar em um que esfolie ou que contenha compostos como piritionato de zinco, sulfeto de selênio ou cetoconazol.

Cabelos alisados

“Ele deve ser lavado sempre que necessário, mas não use xampu mais que duas vezes por semana”, diz Cucinello. “Eles não devem ser muito manipulados porque são quimicamente reconstruídos, então tendem a ser um pouco mais frágeis e secos”, acrescenta Amanda Ambroise, cabeleireira do Warren Tricomi Salon em NY (EUA). Se estiver realmente seco, ela sugere pular o shampoo completamente. Vá direto para uma co-lavagem – ou seja, usar só o condicionador.

3. Exposição ao calor

Muitas pessoas não sabem, mas a exposição em excesso ao sol não faz mal apenas para a pele. O cabelo também sofre com os raios UV, podendo ficar ressecados, envelhecidos e frágeis. Isso ocorre pois a radiação do sol afeta diretamente às substâncias que unem as cutículas capilares, levando a aspereza dos fios e retirando o brilho.

Outra forma de calor que pode agredir é a lavagem com água quenta.

Em entrevista ao blog Segredos de Salão, Heide Guedes, Cabeleireira Conselheira Kérastase, do salão Studio W, em Ribeirão Preto, São Paulo, afirma:

“A água quente sensibiliza os fios, deixando-os ásperos. Eles incham devido ao calor, ficam com as cutículas dilatadas, causando embaraçamento maior que o normal, além de ressecá-los. Também desregula a camada hidrolipídica, resultando em maior oleosidade no couro cabeludo”

Ainda de acordo com a especialista a água quente “deixa os cabelos opacos e sem movimento. Na maioria das vezes, isso já é perceptível logo depois da lavagem. Mas também pode ocorrer de forma gradativa”.

“O ideal é começar a lavar a água com água morna. Sempre indico iniciar o banho higienizando os cabelos, assim, a máscara terá um tempo de pausa durante o ritual. Terminar o banho com água fria vai ajudar o creme de tratamento a alinhar as cutículas que foram dilatadas pela água morna”, esclareceu a expert.

Por fim, convido você para assistir a essa super live que realizei lá no meu perfil do Instagram com as experts em tricologia, autoras do livro Tricologia e Cosmética Capilar, Valéria Souza e Ana Carolina Ribeiro.

Gostou desse post? Acompanhe mais dicas como essa no meu canal do Telegram!

Deixe um comentário